Órgão de certificação garante apoio para frigoríficos do Distrito Federal

 

Aproximação entre indústria e Diretoria de Inspeção de Produtos de Origem Animal e Vegetal – Dipova e discussão para implantação dos Procedimentos Operacionais Padrão – POP. Este foi o objetivo da reunião que aconteceu no dia 07/07 na sede da DFSuin. Entre os presentes, frigoríficos já certificados e a diretora do DIPOVA, Cristiane Taques.

O órgão de inspeção é uma Diretoria da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do GDF ligado à Subsecretaria de Defesa e Vigilância Sanitária. Os produtos que possuem o selo DIPOVA preenchem todos os requisitos higiênicos e sanitários a fim de evitar qualquer perigo à saúde do consumidor. Segundo a Portaria nº 04, de 06 de julho de 1998, à entidade “compete exercer com exclusividade as ações pertinentes ao cumprimento das normas de implantação, registro, funcionamento, inspeção e fiscalização das Miniagroindústrias”.

Cientes disso, os abatedouros de suínos possuem responsáveis técnicos atentos à legislação e que buscam as informações necessárias para que sua indústria esteja sempre em dia com as exigências do órgão. Porém, cada frigorífico possui realidades e condições diferentes, dessa forma, existe a necessidade de que a maneira das orientações da DIPOVA seja adequada para cada situação. Sobre o assunto, Cristiane Taques mostrou-se disposta a atender as solicitações. “A DIPOVA não é barreira; é parceira”, revelou a diretora.

Em relação ao POP, planejamento que visa um roteiro padronizado para realizar determinada atividade, A DFSuin já possui um programa junto ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR, para que seja elaborado um plano específico para cada estabelecimento. No encontro ficou acordado que após a conclusão da consultoria, o documento será levado à instituição de inspeção para ser outorgado.

Para Ivo Jacó, proprietário do frigorífico Sabugy e presidente do SIDNISUÍNOS, a reunião foi bastante proveitosa, pois, segundo ele, “o trabalho já é feito de acordo com as normas e foi possível perceber que somos todos parceiros, visamos oferecer um produto de qualidade cada vez maior para o consumidor.”. Ivo encerrou lembrando que seria interessante oportunizar uma visita às granjas para que os órgãos de certificação percebam o alto nível de tecnificação com que o animal é tratado atualmente.

 

Estado Kg/vivo
DF R$ 5,33


Fonte: CEPEA/ ESALQ
Válido de 15/06 a 21/06/2019

Valor acordado na bolsa de suínos realizada no dia 14/06/2019, às 14h, na sede CNA

Cotações anteriores (2019)

 

Panorama Semanal do Mercado Suíno

Veja Aqui

Informativo

8° FESTIVAL SABOR SUÍNO

Design: Conectando Pessoas - Criação de Sites e Marketing Digital